Entidades formalizam a criação do Fórum Celso Furtado de Desenvolvimento da PB

Noticias 08/06/2019

criação do Fórum Celso Furtado


Entidades paraibanas ligadas à economia criaram formalmente o “Fórum Celso Furtado de Desenvolvimento da Paraíba”, para comemorar os 100 anos do fundador da Superintendência do Nordeste (Sudene) e ex-ministros nos governos João Goulart (década de 1960) e José Sarney (década de 1980). Vasta programação será elaborada para comemorar o centenário, em 26 de julho de 2020, mas o lançamento do Fórum acontecerá no próximo dia 26, quando Celso Furtado completaria 99 anos, se estivesse vivo.

O Fórum reúne entidades e instituições como a Assembleia Legislativa da Paraíba, Conselho Federal de Economia (Cofecon), Conselho Regional de Economia (Corecon-PB), Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon), Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci), Conselho Regional de Contabilidade (CRC), Conselho Regional de Administração (CRA), entre outras instituições nacionais e estaduais.

A criação do Fórum Celso Furtado de Desenvolvimento da Paraíba, segundo o consultor na área de desenvolvimento econômico da empresa BR Consult, Francisco Nunes, “é fruto de uma série de reuniões que vem ocorrendo nos últimos meses com um grupo de pessoas, profissionais e pensadores comprometidos com o desenvolvimento, que hoje estão convergindo para dar personalidade jurídica com estatuto”. O lançamento oficial, para fazer uma sintonia o centenário de Celso Furtado, em 2020 Furtado, será no dia do aniversário de 99 anos dele, dia 26 de julho próximo.

Miscigenação de valores

“Temos uma miscigenação de valores de pessoas que estão representando uma gama de instituições importantes. Daí nossa expectativa muito positiva de que a Paraíba terá, muito em breve, propostas bem interessantes, dentro daquilo que representa nossas potencialidades e que nos diferencia no Nordeste do Brasil para que possamos ser competitivos e ter projetos que possam alavancar o desenvolvimento em proporção maior para o nosso Estado”, disse.

Lembrou Francisco Nunes que o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), a Federação de Agricultura do Estado Paraíba (Faepa), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o Banco do Nordeste do Brasil (BNB) e a Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP) e o Creci-PB também integram o Fórum, “que já nasce de forma robusta”.

Ele destacou o importante apoio político da Assembleia Legislativa, que integrará o fórum por articulação da prefeita Polyana Dutra (PSB), que representa Pombal, a terra de Celso Furtado, no Poder Legislativo da Paraíba.

Conselhos de Administração e Fiscal

O Conselho de Administração do Fórum Celso Furtado de Desenvolvimento da Paraíba ficou assim composto: Francisco Nunes de Almeida (presidente), Marília Medeiros de Araújo (vice-presidente), Tarciso Martins de Oliveira (secretário), Carlos Gláucio S. Farias (secretário) e Celso Mangueira (relações públicas).

Já o Conselho Fiscal é integrado pelos membros Daniel Aran, Sérgio Gouveia Martins e Rubén Castedo Ramirez (titulares)   e Lourinaldo Bezerra da Nóbrega e Márcia Cristina Silva Paixão (suplentes).



Notícias Relacionadas

LER MAIS

FGTS: Dê valor a um dos maiores benefícios conquistados pelos brasileiros

13.09.2019

Criado há 53 anos o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é o assunto que domina a atenção da mídia nos últimos dias.

LER MAIS

Corecon-PB firma convênio com o UNIPÊ

13.09.2019

O Corecon-PB firmou uma parceria com o UNIPÊ com objetivo de conceder aos economistas desconto no valor das mensalidades nos cursos de graduação e pós-graduação.

LER MAIS

Reserva de Emergência

31.08.2019

Escrito por Amadeu Fonseca Economista Corecon 1817 - UFPB

LER MAIS

Assembleia debate PEC que acaba com a obrigatoriedade de adesão a conselhos profissionais de classe

23.08.2019

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) debateu, durante sessão especial na manhã desta quinta-feira (22), a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 108/2019, do Governo Federal, que acaba com a obrigatoriedade de adesão a conselhos profissionais de classe.