Presidente do Corecon-PB participa da mesa de abertura em evento de início do semestre letivo na UEPB

Noticias 18/03/2020

Abertura em evento de início do semestre letivo da Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da UEPB, conta com palestra do economista Romulo Polari


 O presidente do Corecon-PB, economista Celso Mangueira, participou na manhã da última terça-feira (10), da abertura da palestra “100 anos de Celso Furtado: os desafios da pesquisa em Desenvolvimento Regional”, ministrada pelo economista e ex-reitor da UFPB, Rômulo Polari.

O evento faz parte das atividades programadas para o Ano Celso Furtado na Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e para iniciar as atividades do semestre letivo 2020.1 do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional (PPGDR) da Instituição, foi realizada, na manhã desta terça-feira (10), no Auditório da Biblioteca Central, uma palestra sobre as contribuições do pensamento e das obras de um dos principais pensadores sociais do Brasil.

O tema “100 de Celso Furtado: desafios da pesquisa em Desenvolvimento Regional”, foi ministrado pelo especialista na obra do economista, o professor Rômulo César Polari, que apresentou o pensamento original, genial e extremamente atual de um dos mais destacados intelectuais do País ao longo do século XX. Durante suas considerações, professor Rômulo destacou a visão prática das ideias de Furtado. Segundo ele, é preciso salientar a importância econômica, social e política para o desenvolvimento da América Latina proporcionada pelo pensamento de Celso.

Rômulo destacou as contribuições que os projetos de Furtado proporcionaram, bem como salientou a importância da criação da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) durante o governo do presidente Juscelino Kubitschek, em 1959. “Celso Furtado foi um grande cientista social. Por isso, vamos prestar atenção em suas obras sobre os desafios da pesquisa em Desenvolvimento Regional na contemporaneidade. Celso foi um cientista social dos mais importantes da segunda metade do Século XX, por ser inovador, criativo e, na área dos países subdesenvolvidos, ele deu uma contribuição fantástica com uma teoria muito original das causas do subdesenvolvimento dos países da América Latina. Ele não só teorizou, mas apresentou soluções práticas. A expressão maior disso foi a criação da Sudene, que mudou a cena do Nordeste em termos de desenvolvimento econômico e social”, apontou o economista.

O reitor da UEPB, professor Rangel Junior, também participou da atividade e destacou a importância de se aprofundar cada vez mais nas obras de Celso Furtado. Segundo sua análise, o economista está entre os cientistas mais destacados do Brasil, não somente por interpretar o País, mas, principalmente, por apontar caminhos que podem elevar a Nação a outro patamar de construção histórica, focado na resolução dos conflitos sociais, econômicos e políticos. Rangel ainda valorizou a proposta do PPGDR em proporcionar essas discussões, uma vez que o programa tem se consolidado entre os que mais crescem no quesito pesquisa social no Brasil.

O Presidente Celso Mangueira, na oportunidade, entregou ao reitor da UEPB, professor Rangel Junior, o Projeto do Centenário de Celso Furtado do Conselho.



Notícias Relacionadas