Remuneração

economista 10/04/2012

O Economista pode exercer suas atividades, como já foi citado, de forma autônoma ou vinculada a uma instituição.


No caso do exercício autônomo, sugere-se  adotar a    seguinte conduta: fixação  prévia, em contrato   escrito, do  montante   dos honorários; estes, por sua   vez,  deverão ser quantificados de acordo   com as   condições locais de    mercado de  trabalho, seguindo os  seguintes elementos:

A relevância, o vulto, a complexidade e a dificuldade do serviço a executar;

O trabalho e o tempo necessário;

A possibilidade de ficar o economista impedido de atender a outros serviços, com risco de prejudicar suas relações com a clientela ou com terceiros;

A situação econômico-financeira do cliente e os resultados que para este advirão do serviço profissional;

O caráter do serviço a prestar, conforme se trate de cliente eventual, habitual ou permanente;

O lugar da prestação do serviço, fora ou não do domicílio do economista;

O conceito profissional do Economista;

As recomendações oficias existentes, inclusive por Resoluções do COFECON.
 


Notícias Relacionadas

LER MAIS

Corecon-PB disponibiliza peritos econômico-financeiros à OAB-PB

14.05.2019

O presidente do Conselho Regional de Economia da Paraíba, Celso Mangueira disponibilizou à Seccional paraibana da Ordem dos Advogados os qualificados serviços dos peritos econômico-financeiros cadastrados e registrados no Órgão.

LER MAIS

Para presidente do Corecon-PB, antecipação do 13º alivia as finanças do Estado

14.05.2019

Celso Mangueira diz que a economia do País ainda não decolou e defende união dos políticos pela aprovação da reforma da Previdência